O vento me disse...#17 - O Duque e eu - Julia Quinn



Livro: O duque e eu
Autor (a): Julia Quinn
Número de páginas: 288
Editora: Arqueiro
Série: Os Bridgertons
Ano: 2013
Skoob: aqui
Compre: aqui
O Duque e Eu - Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta. Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.
O Duque e eu é o primeiro livro da série histórica da Julia Quinn, os Bridgertons, e foi lançado em 2013 pela Editora Arqueiro. Cada livro conta a história de um dos oito irmãos Bridgertons, a autora utiliza de uma narrativa fluída e um humor perspicaz que simplesmente cativa cada vez mais leitores em todo o mundo, não é a toa que ela já vendeu quase 10 milhões de exemplares.

Para quem não conhece a família, ela é formada pelos seguintes irmãos: Anthony, Benedict, Colin, Daphne, Eloise, Francesca, Gregory e Hyacinth, além da matriarca, a viscondessa Violet Bridgertons, que é uma mulher que sabe muito bem o que quer e que utiliza de alguns meios (que acho super divertidos) para controlar os seus filhos ou melhor, ela tenta de alguns meios para casar seus filhos, e a vítima da vez é a Daphne, filha mais velha entre as mulheres.

Daphne com mais de 20 anos já foi apresentada a sociedade, naquela época, a mulher já estava apta para casar quando era apresentada a sociedade. Em um dos bailes que ela frequentava foi "salva" pelo Simon de um pretendente bêbado que insistia em declarar o seu amor. Simon, era um duque que não teve uma vida muito fácil quando criança, perdeu a mãe logo cedo e foi desprezado pelo pai que pensava que ele tinha problemas, sendo criado por empregadas. Quando mais velho ele viajou por diversos países no mundo, fez faculdade e quando retornou, já um homem seguro e bem afeiçoado, se tornou um dos partidos mais desejados da cidade.

Voltando ao salvamento da Daphne, depois de trocarem algumas palavras, o Simon vê a oportunidade de cortejar a Daphne como algo positivo, afinal, se ele cortejasse ela, afastaria as mães que insistiam em empurrar as filhas para que ele pudesse escolher como esposa e a própria Daphne sairia beneficiada já que ser cortejada por um conde atrairia mais pretendentes. O que nenhum dos dois imaginou é que os corações dos dois sairiam afetados dessa pequena "armadilha".

Vocês não tem noção do quanto esse livro me animou, e isso graças ao humor da Julia. Ela criou cada situação que eu simplesmente ficava com aquela cara de boba. O romance da Daphne com o Simon me proporcionou bons momentos e amei conhecer não só eles dois mais todos os personagens, desde a mãe dela ao próprio irmão Anthony, que não gostava muito dessa corte do Simon a sua irmã. 

E antes que me esqueça, vocês vão gostar das notas deixadas pela Lady Whistledown, uma espécie de colunista (vulgo fofoqueira kkk) da sociedade, ela sempre sabe de tudo o que acontece na cidade. Não é de se admirar que um dos alvos preferidos dela seja a família Bridgertons.

É por isso que indico a leitura desse livro, é diversão na certa. Até quem nunca leu livros de época deve gostar da história. Julia Quinn é sinônimo de boa história e de belas risadas.
"Dizer que os homens podem ser teimosos como mulas seria um insulto às mulas. - Crônicas da sociedade de Lady Whistledown".
“- Que diabo você pensa que está fazendo? – sibilou ela. - Protegendo minha irmã! - Do duque? Ele não pode ser tão perverso assim. Na verdade, ele me lembra você. Anthony soltou um gemido. – Então ela realmente precisa da minha proteção”.
 Todos os livros da série já lançado aqui no Brasil: 



Sabia que o mesmo já foi lançado como livro de banca? Olha a capa:


Olha à família:

Quote da Semana...#10 - Orgulho e Preconceito





E estamos fechando os quotes desse mês em especial as obras da Jane Austen com o tão amado, Orgulho e PreconceitoEspero que eles tenham servido como uma maneira para despertar uma curiosidade com relação aos livros dela.


E alguém consegue determinar a hora ou o momento que começamos a amar determinada pessoa?

Ler livros de banca também é bom!...#06 - Manhã de Outono - Diana Palmer



Manhã de Outono - Não há nada mais poderoso do que a força do primeiro amor...Havia apenas um obstáculo para que Kate Kilpatrick conquistasse Blake Hamilton: ele finalmente ter olhos para ela. Blake esteve sempre convicto de que não foi feito para ter uma esposa, ainda mais se ela for uma menina que praticamente viu crescer. Mas Kate não aceita as desculpas esfarrapadas do único homem que sempre amou e irá convencer aquele solteirão de que é a mulher de sua vida.

Manhã de Outono é um livro bem tipico da Diana Palmer, quem conhece ou já leu alguma coisa dela sabe do que estou falando. Basicamente, você encontrará uma protagonista mais jovem que sempre nutriu um sentimento por um mocinho com atitudes de ogro (Diana é especialista...rs), mais que apesar disso nós simplesmente amamos.

Neste livro vamos conhecer a Kate, que depois de ficar órfã vai morar na casa da tia e dos seus primos. No fundo ela sempre meio que sentiu algo pelo Blake Hamilton, o filho mais velho de Moude- tia dela-, e que além de primo era uma espécie de "tutor" para ela. 

O Blake é daqueles que só com um olhar já diz quem é que manda no pedaço, ele não tem medo de nada. Ele sempre ajudou na criação da Kate o que acabou fazendo com que surgisse um sentimento de posse com relação a ela. Se a Kate tentava agir de uma maneira, vamos dizer, ousada ou se ela simplesmente quisesse ter uma vida de que geralmente as jovens tem hoje em dia, ele simplesmente virava o bicho (kkk). Espantava todos os pretendentes dela, inclusive o seu próprio irmão Phillip, que apesar de não ter interesse na Kate,  sabia que seu irmão mais velho sentia algo pela Kate. Por isso não perdia uma oportunidade para o ver morrendo de raiva (ou melhor dizendo, morrendo de ciúmes...kkk). 

Eu super gostei desse livro e apesar do mesmo ser bem clichê eu recomendo, o livro tem de tudo, cenas engraçadas, um pouquinho de suspense no final e outras bem sensuais...hehe. Para quem vai ler, devo alertar que o Blake é muito mandão e a Kate foi passiva demais ao meu ver, em determinadas situações. Mais quem quiser arriscar, sabendo disso logo de cara, não vai se arrepender de ter o livro. Afinal, Diana Palmer é leitura obrigatória para quem curte romances de banca. 

" - Você disse ao Phillip que eu tinha que estar vivo porque seu coração continuava batendo - relatou, em uma voz rouca e estranha.  - É isso que acontece comigo há mais de um ano. Enquanto estou respirando, sei que também respira, já que não há nenhuma possibilidade de que eu continue vivo sem que esteja comigo" (Blake p/a Kate).

O Vento me disse...#16 - Aconteceu em Paris - Molly Hopkins



Livro: Aconteceu em Paris
Autor (a): Molly Hopkins
Número de páginas: 480
Editora: Novo Conceito
Série: Evie Dexter #1
Ano: 2013
Skoob: aqui
Compre: aqui
Aconteceu em Paris - Evie Dexter quer fazer carreira como guia de turismo. Determinada como é, e cheia de coragem por causa de um ou outro drink, ela logo começa a “melhorar” seu currículo. E consegue um ótimo emprego: acompanhar turistas por toda Paris.Agora é só uma questão de se firmar como profissional demonstrando o seu melhor. Mas os vinhos franceses são tão gostosos... E seu tutor, Rob, é bonito demais! O primeiro romance de Molly Hopkins é um livro que todo mundo gostaria de ler. É verdade que você pode se incomodar com o comportamento de Evie quando ela descobre que Rob é muito rico, e pode até ser que você ache que Rob é exageradamente controlador. Mas nada é maior que as gargalhadas que você dará quanto mais conhecer a garota descomedida, apaixonada e com um imenso coração que é Evie. Uma moça como muitas que conhecemos.

Aconteceu em Paris, escrito pela Molly Hopkins, foi lançado em 2013 pela Novo Conceito. O livro não tem nada daquele romance meloso que a gente imagina quando vê a capa, pelo contrário, tem muitas cenas quentes (para quem gosta não reclamar). Além do romance também tem muito de Chick lit, pois o tom cômico sempre esteve presente nas trapalhadas da protagonista. Apesar disso tudo, durante todo o processo de leitura eu tentei me identificar com a história e com os personagens, o que infelizmente não aconteceu. :(

Logo somos apresentados a Evie Dexter, uma mulher londrina que encontra-se num período não muito bom já que se encontra com uns quilos a mais, não tem um emprego e está cheia de dividas. Além de saber beber como ninguém, ela também tem uma lábia invejável. Desesperada por um emprego a Evie decide ser guia turística em Paris mesmo não tendo experiência nenhuma, afinal, não deve ser tão difícil assim né verdade? (pensamento dela lógico!).

Com um currículo invejável (e mentiroso...rs) ela acaba ficando com a vaga e é em sua primeira viagem como guia que ela conhece o motorista, Rob, que além de ajudar a Evie no trabalho é um pedaço de mal caminho.

A Obra e suas capas - Como eu era antes de você




Olá leitores como vocês estão? O post de hoje vou mostrar algumas capas que encontrei de um livro que é mais que especial, que simplesmente sou apaixonada e que vocês não tem noção do quanto eu gostaria que vocês tivessem o prazer de ler. Como já devem ter visto no titulo, vamos ver as capas do livro da Jojo Moyes, Como eu era antes de você. Bom, se vocês quiserem ter uma noção do que fala o livro, deixo aqui a resenha que fiz e que foi uma das primeiras do blog. Vamos lá?

BRASIL


ALEMANHA
CROÁCIA
 
BULGARIA
Eu simplesmente estou apaixonada por essa capa da Croácia. E acho que é a melhor dessas três, no entanto, quero dizer que gostei de todas.

Quote da Semana...#09 - Mansfield Park



Depois dos quotes de Persuasão e Emma, continuo o quote da semana em especial a Jane Austen e suas obras. O quote de hoje encontrei no blog bate poeira e é de um dos livros menos conhecidos dela, Mansfield Park.  


Vocês concordam com esta frase? Será mesmo que existe mulheres que possuem medo ou receio de serem elogiadas e notadas, tanto o quanto, outras mulheres tem medo de não serem notadas, serem esquecidas?

Até a próxima!

Sou noveleira...#05 - Coração Indomável




Se você assiste as novelas da tarde do SBT já deve conhecer Coração Indomável, novela mexicana produzida pela Televisa em 2013 que está sendo exibida este ano aqui no Brasil e que tem como protagonistas os atores Ana Brenda Contreras e o Daniel Arenas

A trama foi produzida pela Nathalie Lartilleux, mesma produtora da novela Cuidado com o anjo já exibida aqui no Brasil. O enredo é baseado na novela da Venezuela La Indomable, que foi escrita pela Inés Rodena ainda na década de 1970. Está novela originou a tão conhecida Marimar, estrelada pela Thalia e que também já passou pelas terras brasileiras.

O vento me disse...#15 - A Verdade sobre nós - Amanda Grace



Livro: A verdade sobre nós
Autor (a): Amanda Grace
Número de páginas: 208
Editora: Intrínseca
Ano: 2014
Skoob: aqui
Compre: aqui
A Verdade Sobre Nós - Madelyn Hawkins está cansada. Cansada de ser sempre perfeita. Cansada de tirar A em tudo. Cansada de seguir à risca os planos que os pais fizeram para ela. Madelyn Hawkins está cansada de ser algo que não é, algo que não quer ser. E então ela conhece Bennet Cartwright. Inteligente, sensível, engraçado. A seu lado, ela se sente livre e independente. Uma história que poderia muito bem ter um final feliz, não fosse por um detalhe: Maddie tem apenas 16 anos, e Bennet, além de ter 25 anos, é seu professor. Pressionada pelos pais a participar de um programa para jovens talentos, Maddie pula dois anos do Ensino Médio e vai direto para a faculdade, onde conhece e se apaixona pelo professor de biologia. O sentimento é recíproco, e para dar uma chance àquele novo relacionamento que lhe faz tão bem, ela decide não contar para Bennet sua idade. Não demora muito para que as coisas comecem a dar errado, e as consequências da farsa de Maddie ganham contornos devastadores quando a verdade vem à tona.  
A verdade sobre nós foi lançado em 2014 pela Editora Intrínseca e foi um livro que peguei sem saber de nada sobre, literalmente, não olhei a sinopse e nem procurei por nenhuma resenha, confesso, que ele estava com um preço bom, tinha gostado da capa e do titulo, então disse a mim mesma: - porque não levar? Me arrisquei na leitura e devo dizer que o saldo foi bem positivo, não pelo desenrolar da história mais sim, pelo modo como ela terminou; no fim, a leitura me deixou com aquela sensação que temos quando nós terminamos de ler um livro e ficamos pensando como teria sido se as coisas não tivesse ido por um caminho e sim por outro. É o tal do se...

O livro conta a história de Madelyn Hawkins uma menina de 16 anos que sempre seguiu aquilo o que o seus pais queriam, ou seja, era tipicamente a filha perfeita. Só que é aquela coisa, a Madelyn estava naquela fase de se descobrir, de querer seguir a vida com o seus próprios pés, ela estava cansada de ser quem não era. Num belo dia, ela recebeu a oportunidade de estudar em um programa oferecido pela escola que permitia aos alunos com notas máximas a terminarem os créditos do ensino médio na universidade, e foi a partir deste momento que ela viu seu mundo mudar.

O principal motivador dessa mudança foi o professor de Biologia, Bennett Cartwright, um homem muito inteligente e engraçado que mesmo tendo esse cargo na universidade, vê a atenção da Madelyn sobre si como uma coisa normal. Até porque a relação deles, inicialmente, é de amizade. E para deixar as coisas em claro, desde essa época ele foi levado a crer- pela própria Madelyn- que ela já tinha dezoito anos. Quando ela percebe que os sentimentos que ela já tinha por ele podia ser correspondido ela não fez nada para que ele soubesse da sua verdadeira idade. E a partir deste momento, os dois começam um relacionamento que nenhum dos podiam imaginar até onde os levaria.

Vocês agora devem estar pensando: Mais uma história clichê de uma aluna que se apaixona pelo professor! Aposto que deve ser um romance super meloso! E se não for meloso é um daqueles super hots, com várias cenas quentes, aposto! Se vocês tiveram algum destes pensamentos deixa esclarecer logo, o livro tem uma história meio clichê? Sim, entretanto, a autora soube se diferenciar. Tem cenas hots ou o romance é meloso?! Nem uma coisa e nem outra, pode acreditar.

A história desses dois tem elementos que me surpreenderam e me fizeram amar a leitura do mesmo. Devo apontar que em grande parte para que isto tenha ocorrido foi a forma que a autora, Amanda Grace, narrou a história. Ela fez uma coisa diferente do que estou acostumada a ver. O livro todo é narrado pela própria Madelyn só que através de cartas. Então, nada de capítulos, o livro tem apenas pequenas divisões, que se dá em relação às cartas, que são três no total. Cartas essas, que a protagonista direciona para o Bennett. É onde ela conta a sua versão da história.

Esse tipo de narrativa foi o principal fator que me fez gostar do que li, pois deixou a trama com um ar mais melancólico. Não sei quem o leu, mais o mesmo me deixou com a sensação de coisa mal resolvida, de que tudo poderia ter sido diferente e isso não foi ruim. Me peguei querendo por uma continuação, vocês não tem noção como eu desejei isso (e ainda desejo).

Agora, claro que nem tudo seria flores né? Um ponto negativo da trama foi algumas atitudes tomadas pela protagonista, que ao meu ver, era bem mimada e mesmo sabendo que as coisas podiam não sair tão certo, não fez nada para mudar, ao contrário, ela só contribuiu para que a história terminasse do jeito que acabou. 

Enfim, mesmo tendo raiva dela durante alguns momentos, não teve como não gostar do livro. A autora me ganhou. Por isso, relevem (assim como eu) os pontos negativos e procurem ler o livro. Tenho a certeza que vocês terão sentimentos parecidos com os meus.
"Na verdade, só dois importavam. A diferença entre dezesseis e dezoito. A diferença entre o amor que pode durar uma vida e o amor que nunca pode acontecer."

Divulgando: Procura-se novos autores nacionais!




Oi amigos, hoje o post é super rápido e tem como objetivo divulgar uma novidade. Se você escreve e não sabe como divulgar ou mostrar às suas obras, a Editora InVerso está abrindo um espaço para que novos autores nacionais possam mostrar seus talentos. 

Estantes de livros criativas #03



O Estantes de livros criativas dessa semana é uma mais "simples", em formato de caracol. Vamos lá!!!


Eu simplesmente amei esse formato. Só mudaria para uma cor mais clara. Um branco talvez. E vocês, o que acharam?

Quote da Semana...#08 - Emma



Semana passada foi o do livro Persuasão, continuando os quotes especial as obras da Jane Austen, o desta semana encontrei no blog Jane Austen Portugal e é do livro Emma. Espero que gostem.


Será que nos dias de hoje ainda é incompreensível, mesmo que inconscientemente, que uma mulher rejeite a proposta de casamento de um homem? O que vocês acham?

Até a próxima!

Ler livros de banca também é bom!...#05 - A bela e a fera - Amy J. Fetzer


A Bela e a Fera - Ela se apaixonou por um homem cujo rosto não podia ver… Laura Cambridge foi contratada para trabalhar como babá da filha de Richard Blackthorne. os rumores sobre aquele homem que vivia em reclusão não assustavam Laura… Sua experiência como vencedora de concursos de beleza ensinaram-lhe que o verdadeiro valor de uma pessoa não estava na aparência exterior. Mas o coração de Richard estava tão despedaçado quanto seu rosto… Para Richard, a linda e doce Laura era uma tentação e uma tortura, e ela não tinha medo dele… Ao contrário, insistia para que ele saísse de seu esconderijo e vivesse uma vida normal. E Richard sabia que estava apaixonado… tanto quanto Laura acreditava estar. Mas o que aconteceria… quando ela visse seu rosto?

O livro A bela e a fera da Amy é simplesmente encantador. Com certeza não deve ser virado as costas por ser de banca. A história é absolutamente linda e tenho a certeza de que quem gosta de um belo romance deve ler esse livro.

O livro conta a história de duas almas que sofreram na vida pela aparência física. Ambos tiveram que enfrentar os preconceitos que as pessoas tinham por serem quem eles eram. Laura era uma mulher estonteante que já tinha vencido vários concursos de beleza, entretanto, sofreu uma grande decepção com o ex-noivo, que tinha ficado com ela apenas como um "troféu" para mostrar a sociedade. Já o Richard era um homem atormentado, que vivia trancado dentro de casa depois de sofrer um acidente que o deixou com várias cicatrizes no rosto e no corpo. 

A obra e suas capas - A Culpa é das Estrelas



No A obra e suas capas dessa semana pesquisei capas do livro do John GreenA Culpa é das Estrelas. Lembrando que procurei não colocar aquelas capas que são bem parecidas com a brasileira. Que só mudam o nome, mais o modelo continua o mesmo, entendem?

A primeira delas é a brasileira, que é parecida com a original americana:




ALEMANHA
AUSTRÁLIA
DINAMARCA



Confesso que dessas três capas não gostei de nenhuma.

ESLOVAQUIA
FILANDIA
HOLANDA
k Achei a da Filândia muito diferente e acho que não gostei dela. Em compensação, a da Holanda simplesmente amei.


INDONÉSIA
ITÁLIA
NORUEGA
Capas bem distintas umas das outras, entre elas, fico com a da Itália e da Indonésia.


POLÔNIA
PORTUGAL














E sobre essas últimas, gostei dessa portuguesa. Agora é com vocês, quais capas gostaram mais? E quais as capas que poderiam ter sido evitadas? kkk Até a próxima!!!!

O Vento me disse...#14 - Na ilha - Tracey Garvis Graves



Autor (a): Tracey Garvis Graves
Número de páginas: 288
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
Skoob: aqui
Compre: aqui
Na Ilha - Anna Emerson é uma professora de inglês de 30 anos desesperada por aventura. Cansada do inverno rigoroso de Chicago e de seu relacionamento que não evolui, ela agarra a oportunidade de passar o verão em uma ilha tropical dando aulas particulares para um adolescente. T.J. Callahan não quer ir a lugar algum. Aos 16 anos e com um câncer em remissão, tudo o que ele quer é uma vida normal de novo. Mas seus pais insistem em que ele passe o verão nas Maldivas colocando em dia as aulas que perdeu na escola. Anna e T.J. embarcam rumo à casa de veraneio dos Callahan e, enquanto sobrevoam as 1.200 ilhas das Maldivas, o impensável acontece. O avião cai nas águas infestadas de tubarão do arquipélago. Eles conseguem chegar a uma praia, mas logo descobrem que estão presos em uma ilha desabitada. De início, tudo o que importa é sobreviver. Mas, à medida que os dias se tornam semanas, e então meses, Anna começa a se perguntar se seu maior desafio não será ter de conviver com um garoto que aos poucos torna-se homem.
Na ilha foi uma grata surpresa que tive,  para mim, é um dos melhores livros que já li da Editora Intrínseca. O mesmo foi lançado em 2013 e foi escrito pela Tracey Garvis Graves. Antes de tudo, devo alertar, não julgue o livro pela capa. Ele pode te surpreender, assim como aconteceu comigo. 

O livro conta a história de Anna e T.J; que acabam vivendo durante muitos anos numa ilha deserta depois de sofrerem um acidente aéreo. É neste local que eles aprendem a sobreviver, tirando aquilo que podem da natureza para usarem na comida, no vestiário, etc.

O livro é um pouco mais maduro, nada de tramas adolescentes e tal, ele, por exemplo, tem um assunto que até hoje é meio tabu em nossa sociedade, que é o envolvimento de uma mulher mais velha com um homem mais novo. No caso, a Anna quando sofreu o acidente tinha 30 anos e o J.T tinha 16 anos. Você deve tá perguntando se acontece alguma coisa com eles né? Deve até vir com coisas como: isso é pedofilia! Não se culpe, sei que podemos pensar assim no inicio (ou nem chegue a tanto), entretanto, o enredo criado pela autora é tão delicado que acabamos nos pegando torcendo para que tudo der certo e essas coisas, que são meros preconceitos bobos, acabam ficando distante depois que a leitura avança. Existem uma infinidade de porquês que só você lendo poderá compreender.

Depois de alguns anos presos nessa ilha eles acabam saindo dela e ai começa o desenrolar da vida desses personagens; que aprenderam a estar sozinhos sem mais ninguém por perto. E é na "civilização" que esses personagens vão enfrentar grandes barreiras para provar, a si mesmos e a sociedade, que tudo valeu a pena. 

Apesar de alguns erros bobos, a Tracey realmente me cativou, a história que ela criou é totalmente maravilhosa. Amei cada passo que os personagens deram e que acabaram representaram a evolução de cada um como pessoa. A narrativa é muito boa, só ficando um pouco mais lenta lá para o final, mais sinceramente, isso não me incomodou. Só faço uma critica em relação a capa, ela tá bonita, mais acho que poderia ser diferente, mais elaborada...

Enfim, recomendo a leitura do livro pois o mesmo é daquele tipo que você não quer parar de ler e ainda fica triste quando acaba. Li o livro todo no mesmo dia para vocês terem uma noção. Sinceramente, espero que quem for ler tenha sentimentos parecidos com o que tive lendo.
"- Mas, eu  não me encaixo no seu mundo.- Nem eu - disse ele com um expressão terna, mas decidida. Então, vamos construir o nosso. Já fizemos isso antes". 

Quote da Semana...#07 - Persuasão



Oi leitores, como sabem o quote da semana aqui do blog era baseado no trechos de quarta do blog dailyofbooks. Como acontecia: Eu escolhia um trecho do livro que eu tivesse lido ou que estava lendo e postava. Esse mês vai ser diferente, os quotes serão os que encontrei ao andar pela "blogosfera" e que simplesmente amei. 

Esse mês irei fazer um especial Jane Austen, ou seja, os quotes serão todos das suas obras literárias. O primeiro é um que encontrei no blog da Samanta e que sou totalmente apaixonada. É do livro Persuasão.


Essa frase foi dita pela Anne, que numa conversa disse não ser fácil para nós mulheres, esquecermos dos homens a quem um dia já amamos, pelo menos não tão rapidamente como os homens os fazem com as mulheres. Que talvez esse seja o nosso destino, não podemos evitá-los. Vocês concordam? 

Estantes de livros criativas #02



Vamos conhecer mais uma estante de livros bem criativa? Quem sabe você não pode fazer uma parecida né? Vamos lá!?


Essa daqui é linda. Para quem gosta ou toca algum instrumento deve desejar uma dessas. E ai, o que acham????

Meu Top 3 - Vídeos românticos K-pop



Oi gente, esse post é super rápido. Só queria mostrar uns videos que eu simplesmente amooooooo. Todos são românticos e contam uma história de amor. E que histórias!!!!! Se você já assistiu aproveite pra assistir de novo e se você nunca viu, ASSISTAAAAAA eles são lindos. Lembrando que todos são k-pop, se você não costuma escutar músicas desse tipo, não tem problema, pois eu também sou uma dessas. Mais esses clipes são lindos demais.


1. Because I'm a girl - Kiss Korea- Na onda k-pop temos esse vídeo que é simplesmente MARAVILHOSO, ele tem romance e um drama de cortar o coração. A música apesar do titulo em inglês, está em coreano. Vocês não tem noção do quanto amo esse clipe, vi a primeira vez há quase 10 anos atrás e foi a partir dele que procurei por outros. É lindo!!!! Vale a pena ver. Se não puderem assistir ele no momento guardem em seus favoritos! Pois ele merece.

Top Comentarista de Maio



Oi gente, como já tinha falado em posts anteriores, a partir desse mês estou querendo movimentar isso aqui. Para isso, vou trazer o Top Comentarista. Quero ver se dar certo, se a resposta for positiva, ele estará por aqui todo mês.

Mais vamos ao que interessa, o prêmio será o tão aguardado livro da Kiera Cass, A Herdeira:

O Vento me disse...#13 - O Inferno de Gabriel - Sylvain Reynard



Livro: O Inferno de Gabriel
Autor (a): Sylvain Reynard
Número de páginas: 512
Editora: Arqueiro
Série: Gabriel´s Inferno
Ano: 2013
Skoob: aqui
Compre: aqui

O Inferno de Gabriel - A salvação de um homem. O despertar da sexualidade de uma mulher. Enigmático e sedutor, Gabriel Emerson é um renomado especialista em Dante. Durante o dia assume a fachada de um rigoroso professor universitário, mas à noite se entrega a uma desinibida vida de prazeres sem limites. O que ninguém sabe é que tanto sua máscara de frieza quanto sua extrema sensualidade na verdade escondem uma alma atormentada pelas feridas do passado. Gabriel se tortura pelos erros que cometeu e acredita que para ele não há mais nenhuma esperança ou chance de se redimir dos pecados. Julia Mitchell é uma jovem doce e inocente que luta para superar os traumas de uma infância difícil, marcada pela negligência dos pais. Quando vai fazer mestrado na Universidade de Toronto, ela sabe que reencontrará alguém importante – um homem que viu apenas uma vez, mas que nunca conseguiu esquecer. Assim que põe os olhos em Julia, Gabriel é tomado por uma estranha sensação de familiaridade, embora não saiba dizer por quê. A inexplicável e profunda conexão que existe entre eles deixa o professor numa situação delicada, que colocará sua carreira em risco e o obrigará a enfrentar os fantasmas dos quais sempre tentou fugir. Primeiro livro de uma trilogia, O inferno de Gabriel explora com brilhantismo a sensualidade de uma paixão proibida. É a história envolvente de dois amantes lutando para superar seus infernos pessoais e enfim viver a redenção que só o verdadeiro amor torna possível.

Li O Inferno de Gabriel ainda em 2013 quando o mesmo foi lançado pela Editora Arqueiro; esse é o primeiro volume da trilogia de Sylvain Reynard. Era uma leitura muito esperada, afinal, muitos diziam que era parecido com 50 tons, o que não é bem verdade. Se procurarem, vão encontrar muitas resenhas negativas sobre o livro porque muitos pensavam, assim como eu, que tinha coisas parecidas com o livro da E.L. James

Resumidamente, o livro conta a estória de Gabriel Emerson e da Julia Mitchell. O Gabriel é um professor especialista em Dante que dá aula numa universidade de Toronto. Ele é um homem atormentado que carrega em sua alma marcas dos muitos anos que viveu de luxúria e no pecado. Essa vida era totalmente diferente da que vivia a Julia, uma jovem inocente e muito tranquila que não teve uma vida fácil quando criança, que foi marcada pela negligência dos pais.