O Vento me disse...#52 - Minha Vida Mora ao Lado - Huntley Fitzpatrick

Minha Vida Mora ao Lado
Autora: Huntley Fitzpatrick
N° de páginas: 320
Editora: Valentina
Ano: 2015
Skoob: aqui
Os Garrett são tudo que os Reed não são. Barulhentos, caóticos e afetuosos. São de verdade. E, todos os dias, de seu cantinho no telhado, Samantha sonha ser uma deles, ser da família. Até que, numa noite de verão, Jase Garrett vai até lá e... Quanto mais os adolescentes se aproximam, mais real esse amor genuíno vai se tornando. Contudo, precisam aprender a lidar com as estranhezas e maravilhas do primeiro amor. A família de Jase acolhe Samantha, apesar dela ter que esconder o namorado da própria mãe. Até que algo terrível acontece, o mundo de Samantha desmorona e ela é repentinamente forçada a tomar uma decisão quase impossível, porém definitiva. A qual família recorrer? Ou, quem sabe, Sam já é madura o bastante para assumir suas próprias escolhas? Será que está pronta para abraçar a vida e encarar desafios? Quem você estaria disposto a sacrificar pela coisa certa a se fazer? O que você estaria disposto a sacrificar pela verdade?
Minha vida mora ao lado é um Young Adult lançado no país em 2015 pela Editora Valentina que foi finalista do Prêmio RITA como melhor romance de estreia. Eu confesso que esperava apenas mais um romance juvenil, na verdade ele é um romance juvenil mais que possui um elemento que torna à trama bem mais interessante e envolvente. Definitivamente é uma boa leitura.
O livro narra à história de Samantha ou simplesmente Sam. Uma adolescente que vê a sua vida mudar com a chegada da família Garrett. Na verdade, quando os mesmos chegaram na casa ao lado ela ainda era criança, sua mãe logo proibira que a sua irmã e ela tivessem contato com algum dos cinco filhos- que posteriormente seriam oito- do patriarca da família Garrett. Ela falava que eles pareciam com a família do seu ex-marido e pai das meninas- que acabou indo embora e nunca mais dera notícias. Assim, apesar de serem vizinhos, ambas às famílias nunca tiveram muito contato durante os anos. Até que um dia, Samantha, que criara à mania de observar à numerosa família de uma plataforma que ficava numa pequena seção plana do telhado do seu quarto, conhece Jase. Um dos filhos mais velhos, Jase, sabe que a vizinha costuma observá-los e um dia ele vai ao seu encontro. Ela fica surpresa, mais desse contato acaba tendo outros e de uma maneira impensada eles acabam criando um vinculo de amizade.
“Os Garrett eram proibidos desde o início.”
Depois Samantha acaba conhecendo os outros membros e percebe como eles vivem de forma diferente que a sua, ou seja, ela não tem problemas com dinheiro já os Garrett sim, ela sempre estudou em escola particular já os seus vizinhos estudaram sempre em escola pública. A casa deles parece sempre estar uma bagunça enquanto a dela é milimetricamente organizada. Enfim, mesmo com uma série de diferenças eles acabam se aproximando e não se afastando. Assim, tempos depois, Samantha acaba se envolvendo com o Jase, mesmo a mãe dela proibindo, e quando tudo parecia estar em normalidade, algo acontece, e a protagonista vê o seu mundo dar um giro de 360° graus. E isso afetará não só a sua vida, assim como a da sua família e a dos seus vizinhos numerosos.

Com uma narrativa muito bem desenvolta, Huntley Fitzpatrick, criou uma história que apesar de parentar ser comum nos dá uma série de questionamentos bem louváveis. A começar pelo julgamento dos valores pessoais e a maneira como o poder exerce influências na vida das pessoas. Este último vemos exemplificado na mãe da protagonista, na trama ela é uma deputada que fará de tudo para se reeleger. É ela também que será a responsável pelo grande dilema da trama- e posso adiantar para vocês que é algo que vai ser bem difícil para a Samantha digerir.

Falando na protagonista, apesar de viver- inicialmente - sempre aceitando o que a sua mãe impõe, gostei bastante dela. Ainda mais quando ela começa a caminhar, mesmo que a passos lentos, com as suas próprias pernas. Já sobre o Jase eu tenho que confessar que considero o mesmo como o mais cativante da história, afinal, mesmo com a pouca idade ele demonstra ter uma grande sensibilidade, paciência e maturidade.  Juntos, a Sam e o Jase descobrem o amor e a maneira como a autora desenvolveu isso foi de uma sensibilidade extrema. Tudo aconteceu com a pessoa certa e na hora certa.
"E, por muito tempo, essa era a garota que eu era. Aquela que observava os Garrett. Minha vida morava ao lado".
Ahhhh cabe apontar, rapidamente, que uma coisa me incomodou. A autora não deu a devida atenção para o desfecho da história da melhor amiga da Sam. Nam fez algo errado durante a trama que ao meu ver, merecia ter uma punição- e que não teve. Sem falar que ela terminou “brigada” com a protagonista. Enfim, é algo que não muda a história, entretanto, foi algo que me deixou com a sensação de coisas por terminar...

Por fim, eu gostaria de falar bem mais sobre o livro, entretanto, sinto que o melhor é parar por aqui. Por hora só posso dizer que o mesmo foi uma boa leitura. A narrativa em primeira pessoa foi a escolha perfeita, a diagramação e revisão estão boas e o enredo, mesmo que não tenha a pretensão de ser imbatível, é bem gostoso de se acompanhar- principalmente quando se aproxima do desfecho e surge um acontecimento que muda a vida dos personagens principais. 

Eu acabei me surpreendendo e acho que com você não vai ser diferente- assim espero pelo menos. Leitura indicada.
“Mas agora não sou mais aquela observadora. O que Jase e eu temos é real e vivo. Não tem nada a ver com o jeito como as coisas parecem ao longe e tudo a ver como elas são de verdade.”


2 comentários :

  1. Oiii Nathalia

    Li esse livro há alguns meses e infelizmente não me convenceu, não digo que a história estava mal, mas achei tudo muito simplório, sem nada que me surpreendesse. Enfim, achei a história meio plana e não consegui empatizar muito.
    Fico feliz que vc tenha gostado, e realmente vc tem razão quanto a melhor amiga, a situação toda ficou meio no ar, mas parece que há uma companion novel da história e talvez o desfecho dessa situação esteja lá... vai saber.

    Beijos

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  2. Olá Nathalia,tudo bem?
    Só olhando a sinopse realmente você não dá muito por ele.
    Mas após ler sua resenha, acho que podemos abrir exceções.
    Obrigada pela dica!
    Bjs

    excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Uma das coisas que mais incentiva uma blogueira é saber o que estão pensando sobre o seu trabalho. Por isso seu comentário é IMPORTANTE. É com ele que vou saber se estou indo pelo caminho certo. Criticas positivas? são mais que aceitas. Criticas negativas? também, só peço que seja feita com respeito. Esse é um espaço para trocar ideias e espero ver você por aqui.