Ler livros de banca também é bom! #09 - Segredos Que Ferem - Penny Jordan




Amor e traição, desejo e mágoa mesclam-se na história de Cláudia Wallace, uma mulher marcada pela impossibilidade de concretizar seu maior sonho: o de ser mãe. Claúdia e Garth vivem em perfeita harmonia e aguardam ansiosamente o primeiro filho. Ela é assistente social e presta auxílio a jovens prostituídas e drogadas. Está trabalhando quando se sente mal; internada às pressas, perde a criança e sofre uma cirurgia que salva-lhe a vida, mas a impede para sempre de ter filhos. Abalada pela tragédia, ela se dedica com afinco redobrado ao trabalho. Tudo se transforma quando uma prostituta à beira da morte entrega a Cláudia a filha recém-nascida. Violando todas as regras, ela registra a criança como sua, para alegria de Garth que finalmente tem uma família completa e feliz. A pequena e doce Tara cresce, assim, num lar harmonioso. Mas o destino lhes prega uma peça: anos depois, um exame raro mostra que Tara é realmente filha de Garth. Confusa e desesperada, Cláudia confronta o marido, que acaba admitindo a verdade. Incapaz de compreender a traição -- e a estranha coincidência -- ela pede o divórcio. Os anos se passam, e Tara cresce ignorando o segredo que separou seus pais. Até que um dia toda a verdade vem à tona, juntamente com o amor por tantos anos enterrado.

Oi gente como vocês estão? Espero que bem. Hoje vim mostrar para vocês o que penso sobre esse livro de banca que merece ser lido. Já sentia falta de falar sobre um livro de banca por aqui. Vamos lá?

Segredos que ferem foi escrito pela Penny Jordan, autora americana bem conhecida no ramo dos livros de banca. Ela não é unânime, tem gente que ama suas histórias e tem quem as odeie. Não posso dizer que gostei de ler todos os livros dela, no entanto, devo apontar que este livro em especifico, me agradou bastante

O livro conta a história de Cláudia e Garth. Os tipos americanos “perfeitos”, ou seja, lindos, educados, que conseguiram crescer economicamente, respeitados pelos membros da sociedade, etc. Durante o tempo  em que foram casados eles foram bastante felizes, só que um segredo acabou com o relacionamento dos dois. Esse segredo apesar de ter os afastado, também os uniram, já que envolve a filha deles.

Tara, filha da Cláudia e do Garth, vai ficar noiva e ao tempo em que fica feliz ela se preocupa com a família do noivo já que são super tradicionais; quando ela fala para mãe que a tia do noivo é capaz de querer saber tudo sobre os seus antepassadosCláudia começa a ficar preocupada já que a Tara não é sua filha e a mesma não sabe. Essa situação vai desencadear uma série de memórias que Cláudia gostaria que estivessem enterradas no passado.

A trama que a Penny criou é narrada principalmente pela Cláudia e intercala as situações vividas pela personagem no presente e no passado. Devo falar, desde já, que o livro tem algumas falhasprincipalmente na falta de cenas que explicassem mais algumas situações e cenas que mostrassem mais a reaproximação dos protagonistas. Sei que o livro não tem o romance como foco mais é que poderia ser mais explorado esse lado no livro. Por outro lado, teve alguns personagens que poderiam ter se dado menos espaço como a própria Tara e o noivo. Além deles, existe a Estelle e o Blade, personagens que apesarem de terem uma história interessantíssima que chegou a super despertar minha curiosidade não acrescentaram em nada ao desenvolvimento da trama (acho que a autora deveria ter criado um livro só pra eles, seria um livro e tanto já que a história deles é bem mais "pesada").

Agora, se você me leu até aqui, deve estar se perguntando se esse livro tem essas falhas, o porque dessa pessoa que vos escreve está o indicando? É simples, não acredito que livros sejam perfeitos, sempre vai ter uma coisa que não nos agrada, mesmo naqueles livros que são nossos favoritos. Por isso, ao tempo que enxerguei estes na leitura de Segredos que ferem, a autora soube criar um enredo simples que acabou me prendendo de uma forma maravilhosa. Devo dizer para vocês que a história me tocou muito em algumas partes e que ela ficou uns dias na minha cabeça mesmo depois da leitura. Por isso só posso  convidar você a ler essa história e que tire as suas próprias conclusões. Eu sei que gostei e recomendo.  

Até a próxima!

10 comentários :

  1. Oi Nathalia!
    Não tenho costume de ler romances de banca, mas sempre me cativo aos que leio! Que pena este ter desagradado em alguns pontos, mas o fato de ter uma narrativa que prende é um ponto muito positivo! Ótima resenha. :)
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani, como falei, por mais que um livro seja bom ele sempre tem uma coisa que não agrada, né verdade? Apesar disso, eu gostei muito de ler e é por isso que recomendo. :) Leia que você vai gostar!

      bju

      Excluir
  2. Auuunw, livros de bancas são ÓTIMOS :)
    Gosto muito deles,rs.

    Beeijos :)

    http://carolhermanas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Nathalia

    Ler livrosd e banca é mesmo muito bom, são mais baratos e às vezes escondem verdadeiras surpresas. Livros de banca me lembram da minha infância. Sempre gostei de ler e amava bancas de jornal, com todo aquele mundo de revistas...rsrs. Eu me lembro quando era bem pequena meu sonho era ter uma banca de jornal só pra mim, pra poder ler tudo...hahaha
    Que pena que esse não foi "O Livro", mas o fato de ter conseguido te prender um pouco já vale uns pontinhos né?

    Sucesso no seu blog e muitas alegrias pra ti

    Beijokas

    naprateleiradealice.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alice, ler livros de banca também me faz lembrar da época em que estava no início da adolescência. E tem cada história boa que a gente nem espera tanto né? É o caso da própria Julia Quinn e da Nora Roberts. :)

      bju

      Excluir
  4. Já li alguns livros de banca que me conquistaram e outros nem tanto. Mas são livros como qualquer outro e também merecem nosso carinho sim! Não conheço esse. :D

    Beijos
    http://postandotrechos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe uma variedade enorme desse gênero no nosso país. Tem alguns que não são tão bons já que se perdem um pouco por causa da edição que as vezes acaba cortando várias partes importantes, no entanto, existe outros livros que são maravilhosos. O duque e eu por exemplo, livro da Julia Quinn, foi lançado primeiro como livro de banca e depois como livraria. :)

      Excluir
  5. Oii!
    Já li muitos romances de banca, mas a maioria dos que li se centravam em magnatas gregos e mocinhas não muito interessantes, enfim, histórias, que em geral, são esquecidas por não terem nada de inovador, por isso me surpreendi bastante com a sinopse desse livro e essa bomba enorme que a Cláudia sofre. Sempre imaginei que romances de banca fossem bem leves e esse me deixou bastante curiosa!
    Estante de uma Fangirl

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Daniele, te entendo. Existem muitos livros com essas caracteristicas que você apontou. Por isso, nessa coluna, sempre procuro trazer um livro de banca com um diferencial. Daquelas que a gente até se surpreende.

      bjus

      Excluir

Uma das coisas que mais incentiva uma blogueira é saber o que estão pensando sobre o seu trabalho. Por isso seu comentário é IMPORTANTE. É com ele que vou saber se estou indo pelo caminho certo. Criticas positivas? são mais que aceitas. Criticas negativas? também, só peço que seja feita com respeito. Esse é um espaço para trocar ideias e espero ver você por aqui.